terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Vamos orar para você cuidar de sua vida.

Eu irei tentar ser o mais imparcial possível, visto que em outro artigo meu, sobre as drogas, problemas decorreram pelo meu trecho onde eu discorri, brevemente, acerca de minha visão pessoal.


Nós temos um assunto muito polêmico para libertários, ele é religião. A base do movimento libertário é a liberdade e suas consequências, o empoderamento do indivíduo, a responsabilidade própria. Será que a religião, seria uma instituição coerente com o libertarianismo? E eu digo que sim. E irei mostrar nesse artigo o porquê.

Bom, primeiramente, precisamos definir até onde podemos ir com nossa liberdade, e a resposta é: até onde vai a do outro. Eu sou livre para fazer e pensar o que eu quiser, xingar quem eu quiser, porém, não posso agredir ou impor meus valores antes proclamados seja através de artigos ou palavras.

A igreja não é como um estado, onde as pessoas dão o dinheiro forçadamente, ou estão ali contra suas vontades. As pessoas dão dizimo, não imposto. As pessoas se privam de sua liberdade de xingar, transar, beber, por livre e espontânea vontade, diferente do estado, que priva você de suas liberdades de maneira coercitiva, onde não tem como optar.

A igreja, apenas se torna coercitiva e criminosa, caso se alie ao estado. Assim como um vegano, que tente tirar a carne dos cardápios, ou um conservador, que queira proibir casamento gay. Mas, infelizmente, isso é um direito proveniente da democracia, onde o povo, democraticamente, pode eleger representares, e certas vezes, os valores morais deles podem entrar na política e ganhar positivismo jurídico.

Bom, visto que a parte sobre liberdade está devidamente esclarecida, é bom destrincharmos sobre certas coisas: A igreja, não é completamente, má.
Não, ela não é! Ela apenas pode se tornar coercitiva e má aliando-se ao estado, podemos ver isso claramente no oriente médio, guerras causadas por "lugares santos", mais uma vez, o estado tendo relações nefastas e incestuosas com coisas que ele deveria deixar em paz.
Mas, a igreja fez e faz muita coisa boa.


A igreja católica mantém hoje: 


  • Há o Óbulo de São Pedro que é a ajuda econômica enviada para o papa  pelos fiéis utilizado para manutenção da caridade e ajuda aos mais necessitados.
  • 25% das obras que cuidam de aidéticos em todo o mundo são mantidas pela Igreja Católica.
  • Podemos ver grandes pessoas à frente de grandes obras como Madre Teresa de Calcutá e a Beata Irmã Dulce.
  • Sociedade São Vicente de Paulo foi constituída por um grupo de jovens universitários liderado por Antonio Frederico Ozanam com o objetivo de prestar às famílias necessitadas ajuda material e espiritual.
  • A SSVP, ou Vicentinos, é a segunda maior ONG no mundo, perdendo apenas para a ONU, se dedicam integralmente a ajudar os mais necessitados e buscar soluções para retirá-los da miséria.
  • Ordem Hospitaleira fundada por São João de Deus persiste ainda hoje e faz um trabalho maravilhoso recebendo doentes e com especial predileção por doentes mentais. Contam com 1500 irmãos, 40000 colaboradores. 5000 colaboradores e 300000 benfeitores-colaboradores.
Fonte dos dados: http://coracaodasalete.blogspot.com.br/2012/06/caridade-da-igreja.html


A Igreja mantém na Ásia:
1.076 hospitais;
3.400 dispensários;
330 leprosários;
1.685 asilos;
3.900 orfanatos;
2.960 jardins de infância   .
                                      
                        
Na África:
964 hospitais;
5.000 dispensários;
260 leprosários;
650 asilos;
800 orfanatos;
2.000 jardins de infância.
                                       
Na América:
1.900 hospitais;
5.400 dispensários;
50 leprosários;
3.700 asilos;
2.500 orfanatos;
4.200 jardins de infância.                                             
Na Oceania:
170 hospitais;
180 dispensários;
1 leprosário;
360 asilos;
60 orfanatos;
90 jardins de infância.
                              
Na Europa: 
1.230 hospitais;
2.450 dispensários;
4 Leprosários;
7.970 asilos;
2.370 jardins de infância.
                                                                                     

                                                

Nenhum comentário:

Postar um comentário