segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Trocas voluntárias não precisam de saqueadores.

Uma das maiores mentiras que os estatistas levam é que o "capitalismo necessita do estado". Bom, isso é uma falácia.

O capitalismo é não passa de trocas voluntárias. O estado é o monopólio da força em um território. Bom... Dá pra ver que não são termos que necessitam um do outro necessariamente, correto? Entretanto, o pior de tudo nesta falácia, é que a verdade é justamente o contrário. O estado destrói o capitalismo. Vamos imaginar:


Cenário A: Renato produziu mandioca, e precisava de cimento para a sua parede. Então, ele por via de escambo, troca sua mandioca com Jean, por cimento. Ele constrói sua casa e começa a achar dificuldades em fazer trocas, logo, as pessoas se juntam e criam uma moeda para usar como troca.

Cenário B: Renato quer produzir mandioca, o estado não deixa. Ele disse que a terra não era segura e que poderia fazer mal a população comer de tal mandioca. Jean, que iria falir sem a mandioca, foi à falência por força. O estado disse que ele estava explorando seus trabalhadores. No final, o estado criou uma moeda de curso forçado, e para resolver todos os problemas que tinha causado, tentou criar dinheiro para dar um boom na economia. O estado destruiu o poder de compra da moeda.

O capitalismo precisa do estado?

Muito pelo contrario. O estado precisa do capitalismo. Seja da forma que for. Seja monopolizando o capitalismo, como os governos socialistas fazem, dando poder aos políticos e montanhas de dinheiro, como Maduro, que gasta 2,5 milhões por dia ou a primeira ministra da Coreia do Norte, que usa roupas de grife, sendo que ambos tem seus povos em regimes socialistas passando fome. Ou mesmo em outras formas, permitindo o capitalismo mesmo que seja com braços amarrados e regulações, e vivendo as custas do capitalismo, taxando e roubando, brincando de criar leis para favorecer grandes corporativistas. De uma forma ou de outra, o capitalismo existe sem estado, porém, o estado inexiste sem capitalismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário